sexta-feira, 14 de outubro de 2011

não tenho nada que me prove a existência de Deus,


mas mesmo assim Ele continua sendo o absoluto dos meus dias. nunca choveu maná no quintal da minha casa e a imagem que tenho da Virgem Maria nunca derramou uma lágrima. o que tenho aqui é esta mão machucada, este dedo sangrando, este nó na garganta, este humano desconsolo, esta dor, esta cor e este olhar desconcertante de Deus, deixando-me sem jeito, ao dizer que me ama. 

(pe. fábio de melo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário